Feeds:
Posts
Comentários

mais um pouco..

de paciência pq eu não to tendo mto tempo pra escrever!!

Ainda falta o último dia de Roma, em que as meninas voltaram pro Brasil e eu fui pra Dublin (num vôo infernal!), meus dias na Irlanda (em que eu conheci mta gente legal, mtos lugares interessantíssimos e até toquei numa múmia de mais de 900 anos!!) e a volta pra um dos meus lugares preferidos no mundo: Londres, onde eu to me divertindo pra caramba, vi nevar, fiz comprinhas, fui ao Cirque du Soleil, enfim.. agora to caminhando pros últimos dias da viagem, domingão eu embarco de volta pra casa, então, já já tá tudo escrito por aqui!

Até breve!

Anúncios

Roma – dia 17 – 07 de janeiro de 2013

A segundona tb começou cedo mas não foi pra trabalhar hahahahhaa, aliás, nem lembrávamos os dias da semana e ficávamos completamente perdidas com a noite caindo às 4 da tarde. Enfim.. vamos ao que interessa, essa segunda foi dia de visitar o papa, conhecer os Museus do Vaticano e a Basílica de São Pedro.

Primeira parada: Museus do Vaticano:

Imagem

Putz! Tem muita coisa lá, mas muita coisa meeesssmooo! Acho que tem bem menos que no Louvre mas ainda assim, é coisa pra caramba.

Bom, me considero uma pessoa completamente ignorante quando se trata de arte, conheço um ou dois quadros de um ou outro artista e só! Isso significa que minha opinião quando se trata de museus é praticamente igual a zero. De qquer forma, não vou deixar de me expressar, até pq gosto é que nem cotovelo, né.. enfim, vamos lá: os detalhes do prédio me chamaram mais a atenção do que a grande maioria das obras que estão lá expostas.

Já a sala dos mapas, essa sim é fodástica, realmente impressionante, passei mto tempo olhando e reolhando e entortando meu pescoço pra tentar ver mais, são mapas gigantescos pintados por Dante alguma coisa (corrijam-me se eu estiver enganada) e extremamente detalhados, é incrível!

Imagem

Uma das coisas que eu não esperava é o tanto que o Vaticano é “comercial”, tem lojinha pra todo lado, é praticamente uma em cada corredor e os preços são absurdérrimosss!!

Chegamos na Capela Sistina depois de nos perder e nos achar algumas vezes. Primeiro eu achei que ela era gigante, depois que vi um negócio na net fiquei achando que ela era minúscula então, na realidade, minha impressão é de que ela até que tem um tamanho razoável.

Super lotada, cada centímetro dela tem uma pessoa e todas bobas olhando para o alto. Desde as paredes e todo o teto é pintado, bem no centro está a famosa obra do Leonardo da Vinci:

Imagem

que até agora eu não entendi pq é tão famosa assim, é pequena e até meio que perde a graça junto das outras. Aliás, achei o “conjunto da obra” bastante pesado e triste, um detalhe interessante é que Leonardo da Vinci teve ajuda de alguns (sabe se lá quantos) artistas pra pintar tudo aquilo.

Enfim.. nem só de más impressões vive a moçoila aqui, passei sim um booommm tempo lá, igualzinha aos outros turistas, olhando pro alto e boquiaberta pq fiquei impressionada com a riqueza de detalhes, pela perfeição dos tamanhos e expressões, enfim, com a magnitude da obra de uma forma geral, achei sacanagem darem esse mérito todo a um só artista qdo muita gente deve ter ralado pra caramba pra fazer tudo aquilo.

Bom, saindo de lá fomos à Basílica de São Pedro, o papa atual não veio nos visitar mas nós visitamos todos os outros pq é lá que eles estão enterrados. O papa mais pop não está na parte subterrânea junto com os outros e sim logo na entrada, do lado direito, tem até uma estátua dele gigantesca lá. Tudo impressionantemente lindo e cheio de detalhes, muito ouro, mas é tipo, MUITO ouro mesmo!!

Minha opinião sobre tudo o que vi nesse dia pode causar controvérsias então, acho melhor não criar polêmica.

Bora bater perna pq o dia seguinte seria nosso último dia em Roma!

Roma – dia 16 – 06 de janeiro de 2013

Domingãaaaooo e nós com o pé na rua já cedo!

Primeira parada: Igreja de Sta. Maria Magiore, absurdamente linda e tivemos uma oportunidade incrível pq chegamos bem na hora em que a missa ia começar, foi o máximo ouvir o som do órgão e o tradicional “em nome do pai, do filho e do espírito santo” em italiano. Foi lindo!

Interior da Sta. Maria Maggiore:

DSC08421

Estávamos fazendo o tour de ônibus então seguimos o passeio e paramos no Coliseu mas não entramos, só tiramos umas fotos e seguimos viagem.

DSC08455

 

Passamos por vários pontos turísticos e descemos no Circo Massimo, dali fomos a pé até a Boca da Verdade – claro que fomos lá colocar nossa mãozinha pra ver se ela sairia inteira, dizem que os mentirosos tem a mão cortada (medo! hahahha)

DSC08480

Depois fomos até uma das centenas de Piazzas de Roma mas essa eu não lembro o nome, acho que é pq não tinha nada de interessante por lá, com exceção da super rua das compras hahahaha, ali pertinho (seguindo pela rua das compras, no lado oposto da tal Piazza) fica a Fontana Di Trevi, que estava estupidamente lotada!! mas claro que joguei uma moedinha pra garantir a volta para Roma, ou melhor, para a Itália pq pra Roma mesmo acho difícil que eu queira voltar:

DSC08536

Dali, é só voltar no sentido da rua das compras e passar direto por ela, mais um pouquinho e chegamos ao Pantheon. Linda e intrigante construção, eu vi um documentário sobre ele algum tempo atrás e estava bastante curiosa para conhecê-lo pessoalmente, lá é meio zoneado pq tem MUITA gente mas vale a visita (além do que, é de grátis!), ali perto descobrimos outro sorvete super gostoso e como não poderia deixar passar, olha a fotinho tomando sorvete na frente do Pantheon:

DSC08572

Já que ainda estávamos por ali e já tinha anoitecido, voltamos à Fontana Di Trevi para vê-la acesa, incrivelmente linda:

DSC08592

De lá voltamos para o hostel e terminamos o dia com uma cervejinha pq ninguém é de ferro né?!

DSC08624

A chegada em Roma foi tranquila.

A estação Termini é gigantesca e conseguimos sair pelo lado errado, um clima estranho no ar, não foram boas aquelas primeiras impressões – ainda mais quando um taxista queria cobrar um absurdo pra levar uma das meninas e as malas e ainda nos disse que o hostel ficava a uns 11 quarteirões dali.

Não caímos nessa, seguimos adiante e logo logo avistamos nosso novo lar. É o hostel Alessandro Palace, considerado um dos melhores em 2012, tem tudo o que se tem direito (bar, internet, staff super simpático, quarto bem legal e chuveiro excelente – aaahhh e elevador tb hahahaha).

Deixamos as coisas no quarto e voltamos pra estação pra comer. Escolhemos um falso self-service, no final das contas pagamos 5 e pouco pra comer uma pratada de macarrão (3 tipos no mesmo prato) a quantidade era boa mas a qualidade não era das melhores.

Fui a primeira da fila no banho e apaguei total super cedo, o jeito era descansar pq no dia seguinte tínhamos Roma inteira pra desbravar.

Pisa – dia 15 – 05 de janeiro de 2013

Pisa foi um piscar de olhos durante a viagem.

Chegamos na estação, atravessamos a cidade (é só seguir em frente todavida, passar pelo rio, continuar mais um pouquinho de vida andando em linha reta e virar à esquerda lá na frente – coisa de meia hora mais ou menos) pra chegar até a Torre de Pisa.

Chegamos lá, tiramos umas fotinhos, tentei empurrar a torre pra ela entortar mais um pouquinho, comprei uma canequinha e bora pegar o caminho de volta pra seguir viagem até Roma.

Simples assim! Valeu a visita!

Só faltou tempo pra parar na Pimkie, a lojinha que parecia muito atraente pq os preços estavam lindos! hahahahaha.. não achamos mais dessa lojinha nas outras cidades =(

Detalhe: a torre é linda, cheia de detalhes e interessantemente torta, só ela entortou, nenhuma das construções ao lado estão daquele jeito – é possível subir na torre mas não nos interessamos por isso.

Imagem

Florença fica na região da Toscana (que eu pretendo voltar na primavera pra conhecer as cidadezinhas e vinhedos), foi uma parada no caminho para Roma.

Ficamos hospedadas no Locanda Daniel, bem pertinho da estação central, a Sta. Maria Novella, tudo ótimo menos o detalhe de que nosso quarto era no terceiro andar de um prédio sem elevador.

As compras em Florença se resumem a jóias (principalmente na Ponte Vecchio – cartão postal da cidade) e couro. Mas foi lá que descobrimos o sorvete Venchi, simplesmente perfeito! Não é por acaso que o sorvete italiano é conhecido como o mais gostoso do mundo, mesmo no frio as sorveterias estavam cheias pq os sabores são incríveis e a textura é incomparável.Imagem

Bom, nossa primeira parada: não lembro o nome hahahaha, acho que é Piazza Michelangelo ou algum outro artista famoso, enfim.. é por ali que fica a Igreja de San Miniato al Monte, onde há uma lojinha em que os monges vendem os produtos que eles fabricam: mel, temperos e otras cositas más. Claro que não deixei passar e comprei uns potinhos de mel de vários sabores pra levar pra casa, mel abençoado! rs

A vista lá do alto é linda:

Imagem

Dali fomos a pé até a Ponte Vecchio que é mto linda:

Imagem

E perambulamos pela cidade. Passamos pela Duomo (parece que é a segunda maior igreja da europa) fomos até o museu visitar o “pequeno” Davi de Michelangelo, ele tem 4 ou 5 metros de altura e foi esculpido numa única pedra de mármore. Ficamos algum tempo lá tentando entender pq ele foi feito, se ele foi desenhado antes de ser esculpido, por onde ele foi começado, se Michelangelo o esculpiu sozinho mesmo, como ele conseguiu fazer isso com tamanha perfeição pq os detalhes são impressionantes, enfim.. ficamos pensando nisso e mais num monte de coisas. Davi é muito tímido então ng pode tirar fotos dele, mas alguém que eu não vou dizer quem é pra não comprometer tirou uma escondidinha:

Imagem

Passamos tb pela feirinha onde são vendidas coisas de couro italiano (uma verdadeira tentação além de altas risadas), no final das contas, a feirinha terminava quase na porta do hostel, caminho perfeito.

Pra fechar a noite fomos a uma micro-birreria (birra = cerveja em italiano, portanto birreria é uma cervejaria) que produz cervejas artesanais. Experimentamos uns 3 ou 4 tipos e mais uma vez acertei na escolha, uma cerveja escura, de natal, feita com avelã que só é produzida nessa época, recomendadíssima! (não lembro o nome do lugar mas é pertinho da estação, praticamente embaixo do hostel na Via Nazzzionale).Imagem

Veneza – dia 13 – 03 de janeiro de 2013

Aaaahhhh.. não existem palavras pra explicar como Veneza é linda!

Algo completamente fora do comum, já na saída da estação de trem percebe-se isso pq não há ruas com carros e ônibus passando e sim um canal, os ônibus são barcos e a primeira impressão é de estar fora da realidade.

Quando começamos a caminhar pelas ruazinhas estreitas, algumas mais estreitas e outras onde se passa uma ou duas pessoas por vez, recheadas de lojinhas e casas lindas, janelas hipnotizantes (impossível não ficar olhando pro alto, dá vontade de morar ali só por causa das janelas!), enfim.. é nessa hora que temos a certeza de que estamos mesmo fora da realidade!

Diz a lenda que, alguns anos atrás, eu ouvi uma notícia de que Veneza estava afundando tantos cm por ano. Nesse dia eu pensei que eu conheceria Veneza antes dela “afundar”. E lá estava eu, realizando mais uma “profecia”.

Da estação de trem seguimos pelas ruazinhas super movimentadas (Veneza é extremamente comercial – pelo menos no “caminho da roça” dos turistas que atravessa a cidade), sobe pontinha, desce pontinha, até nos depararmos com uma gôndola linda e já decidirmos pelo passeio mais importante do dia: foi tão lindo, tão romântico hahahaha, nós 6 na gôndola, passeando pelos canais de Veneza (que não fede, juro!!!), curtindo a arquitetura, quando o gondoleiro começa a cantar: ai se eu te pego! hahahahhaahhaa nem preciso dizer mais nada né!

Imagem

Bom, saindo do passeio de gôndola (mais ou menos meia hora, 80 euros pra até 6 pessoas) continuamos seguindo o caminho da roça até Piazza San Marco, que de “praça” não tem nada, é um puta espaço vazio, enooorrrmeee, de chão normal (não é grama, nem tem árvores como são as “praças” do Brasil) mas é cercada de cafés e lojas tradicionais, tem a igreja e o negócio alto que eu não lembro o nome, de onde se pode ver Veneza do alto, mas meu objetivo lá era o Café Florian, que existe desde 1720, é um dos cafés mais antigo do mundo. Bom, eu não tomo café e nem me arrisquei a tomar nada por lá, mas quis conhecer o lugar e comprar mais uma canequinha pra minha coleção e 2 potinhos de chá que vão ficar lindos lá na minha cozinha.

Ah! Já ia me esquecendo do “pedacinho” de pizza no almoço:

Imagem

Bom, o restante do dia foi pra se perder e se achar nas ruazinhas e comprar coisinhas (principalmente peças de Murano – aqueles vidrinhos decorados e máscaras do famoso carnaval de Veneza).

Enfim.. foi num lindo dia de sol que eu conheci Veneza, antes dela afundar!

Imagem